Perguntas Frequentes

Onde é que a Lar no Lar se encontra?

De momento estamos presentes apenas no Algarve, mas vamos expandir para onde houver procura.
O principal indicador de procura é a oferta de habitação, por isso, se é um/a potencial anfitriã/o, queremos ouvir de si!

As/Os coabitantes precisam de ter algumas qualificações especiais?

Não. Como os anfitriões têm de ser autónomos e independentes para participar no programa, o principal requisito dos coabitantes é que sejam responsáveis, possam disponibilizar 8-10 horas por semana do seu tempo e tenham a vacinação contra a COVID-19 completa, de acordo com as recomendações da DGS.

As pessoas mais velhas têm de viver sozinhas para participar no programa?

Não. Podem ser um casal, ou até viver com um/a familiar.  Desde que haja um quarto desocupado na casa que possa ser utilizado para habitação do coabitante e desejo de receber ajuda e/ou companhia.  Todas as pessoas que vivem permanentemente na casa terão de apresentar um registo criminal e 2 referências de pessoas que não sejam familiares.

E os coabitantes? Quem se pode candidatar?

Qualquer pessoa adulta e responsável pode.  A Lar no Lar pede a todos/as candidatos/as para providenciarem um registo criminal, assim como 3 referências de pessoas que não sejam familiares e outros documentos que são explicados em pormenor quando se candidatam. Famílias mono-parentais com apenas uma criança que tenha menos de 10 anos também se podem candidatar.

Porque tenho de pagar uma mensalidade?  A ajuda ou quarto oferecidos não são suficientes?

A mensalidade é muito abaixo do valor corrente de um quarto ou da ajuda oferecida, e é essencial para a existência do programa e para podermos continuar a ajudar mais pessoas e expandir.  Além disso, o apoio e monitorização que oferecemos, salvaguarda a segurança de quem participa no projeto.  Não publicamos as mensalidades aqui porque elas podem variar ou pode qualificar-se para receber algum apoio. Para saber a mensalidade para a sua localidade ou para perceber a importância do nosso envolvimento no acordo, contacte-nos.

Existem mais alguns custos para além da mensalidade?

Sim.  O primeiro passo para qualquer das partes é a inscrição que pode ser feita através da área de contatos aqui no site, e é gratuita.  O passo seguinte é uma candidatura que tem um custo único de €35 para a/o anfitriã/o e de €10 para coabitantes.  Uma vez encontrada uma correspondência para o/a coabitante, ela/e paga mais €25.  Estes valores são pagos apenas uma vez e não são reembolsáveis.  Para compreender para quê que estes valores contribuem, entre em contacto connosco.

Só pessoas idosas é que se podem candidatar a anfitriãs?

O nosso foco é nas pessoas mais velhas devido à crescente longevidade e falta de ofertas para lidar com a situação.  No entanto, quem quiser acolher alguém de confiança na sua casa em troco de alguma ajuda pode candidatar-se.  Como exemplos, o programa pode também ser benéfico para pessoas com limitações físicas ou famílias que queiram ajuda ocasional para tomar conta de crianças.  Quaisquer participantes no programa têm de poder provar que têm a vacinação contra a COVID-19 completa de acordo com a DGS.

Qual é a diferença entre um/a coabitante e um/a cuidador/a familiar?

A principal função de um/a coabitante é de fazer companhia e ajudar em pequenas tarefas e não de cuidar.  A pessoa idosa não vai depender do/a coabitante, mas a sua vida terá mais qualidade por causa da presença dela/e. 

Tem uma pergunta que não está esclarecida aqui?  Envie-nos um email e responderemos logo que possível!